• Lorenna Roman

    Só uma coisa que eu não entendi, estou fora do Brasil há mais de 10 anos e talvez a lei mudou, o Corinthians é uma instituição privada. Houve invasão, agressão e roubo. Tinha testemunha, criminosos e a polícia, e porque ninguem foi preso?

    Responder

  • Rodrigo Canellas

    Torcida de merda, simples assim.

    Desculpem o termo mas é o termo que resume o nojo que tenho desses caras.

    Responder

    Rodrigo Canellas Respondido em fevereiro 2nd, 2014 21:07:

    Passou um “termo” a mais. é a raiva que prejudica o português

    Responder

  • rafael souza

    Palhaçada…. Bando de vagabundooss!!! O time da horrivel… Mais por que invadir…. Agredir a faxineira.. Oque ela tem haver !!!! Isso td e culpa da diretoria ki paga os ingressos!!!

    Responder

  • Alan

    Se existisse um pouco de inteligência ou pelo menos vontade de se cumprir o codigo penal, era só pegar as imagens dos bandidos que invadiram o CT ontem e ir prendendo um por um quando fossem hoje ao jogo, pois certamente a grande maioria daqueles marginais estavam hoje no estádio. Mas como torcedor “organizado” está acima da lei, nada foi feito. Bandidos, marginais, não representam a imensa torcida corinthiana.

    Responder

  • Filipe

    Compartilho do seu pensamento, lamentável a atitude desses mané, esperamos tanto por nossas glórias recentes e agora não podemos aguardar a reconstrução do nosso time, que é óbvio que estava sendo necessário, lamentável

    Responder

  • Yelssek

    Esse time não vira. O Mano está com um trabalho péssimo, escalou o time errado mais uma vez…mas também é notória a FALTA DE VONTADE DOS ATLETAS.Como pode o Douglas ter uma barriga daquele tamanho e se dizer jogador de futebol? Como pode Danilo ser titular desse time? Como pode o Pato ser reserva do Ruimmarinho? Como pode esse tal de Emerson Sheik, tão mal caráter, desagregador, paneleiro, SER JOGADOR DO CORINTHIANS? Dois gols na final da Libertina não dão o direito dele mandar no time, ele é mais fominha que o Mirandinha.E o Paulo André é zagueiro ou sindicalista? E quando o Rodriguinho vai estrear? E o Jocinei? E o Clebér? E o Pato?
    Esse timeco não joga nada a 8 meses e não jogara ontem…que absurdo…

    Responder

    Yelssek Respondido em fevereiro 3rd, 2014 7:50:

    Esqueci do Guerrero também, é um caneludo com grife, até aquele tal de brocador é melhor que ele, e olha que o homem é horrível…

    Responder

  • Renan Ranieri

    Quando foi que isso ajudou a reverter crise? Perdemos Tevez, Edilson, Marcelinho… da pra falar mais um monte… então beleza.

    Agora já estão batendo em faxineira, roubando celular… beleza então… tá certinho..

    E mano Mano… Danilo, Douglas, Sheik, Romarinho, Pato, num dá mais né!

    Responder

  • Luiz

    Em 1910, um grupo de membros da classe operária fundaram um clube de futebol que, em pouco tempo, se tornou o “Galo” das várzeas paulistanas: o Corinthians, que passou a ser temido por seu time de futebol aguerrido e por uma barulhenta e cada vez mais numerosa e apaixonada torcida. A ascensão do “Time dos Operários” foi irrefreável e sensacional: em 1913 ingressou no campeonato paulista, em 1914 conquistou o seu primeiro título e, na década, com a conquista de dois tricampeonatos, se consolidou como o principal clube do futebol paulista.

    A chegada do varzeano e guerreiro time do Corinthians, e de sua perturbadora (em mais de um sentido da palavra) torcida ocasionou um racha na elite dos clubes de futebol paulistas, superado apenas duas décadas depois. O que jamais parece ter sido superado é o incômodo provocado pelo Corinthians – o time “do povo”, “dos carroceiros”, “dos engraxates”, “da ralé”, “dos maloqueiros”, “dos bandidos” – e, principalmente, por sua fiel torcida.

    #

    1933 : Depois de uma derrota para o grande rival, Palestra Itália, por 0×8 (maior goleada sofrida pelo Coriinthians em sua história), uma multidão de corinthianos – “desordeiros”, segunda definição da imprensa à época – se dirigiu à sede do clube, que foi invadida e incendiada, resultando na renúncia de toda a diretoria.

    A terrível crise vivenciada no início da era profissional começa a ser superada no ano seguinte, com a chegada do lendário Teleco, e é definitivamente superada com o tricampeonato de 1937/38/39.

    #

    1974 : Após a derrota por 0×1 para o Palmeiras, na final do campeonato paulista (a mais doída derrota da história do Corinthians), completando 20 anos de jejum de títulos, foi preciso se eleger um bode expiatório para expiar a imensa dor da nação corinthiana. O escolhido foi Rivelino – jogador com mais de 10 anos de clube, maior craque a vestir a camisa corinthiana -, que foi praticamente banido do clube, e só teve a memória de seu valor para o clube resgatada anos depois.

    O Corinthians perdeu seu maior craque e foi um time sem craques, em 1977, que libertou a Fiel do martírio de mais de 20 anos sem um título do campeonato paulista.

    #

    1997 : Depois de uma derrota para o Santos, 0×1, na Vila Belmiro, torcedores do Corinthians fazem uma emboscada para o ônibus do time, na subida da Serra, na Rodovia dos Imigrantes, em plena madrugada. O ônibus foi cercado, apedrejado, e sofreu tentativa de invasão, com os jogadores e comissão técnica vivendo momentos de terror.

    Logo após o episódio deplorável, e ainda com grande parte do elenco que o vivenciou, teve início, em 1998, uma das melhores fases da história corinthiana: o bicampeonato de 1998/99 no Brasileirão e a conquista da 1° Mundial de Clubes, em 2000.

    #

    2000 : Após a segunda eliminação consecutiva, frente ao Palmeiras, por pênaltis, na Libertadores, a torcida corinthiana invadiu o clube para protestar. Edilson, um dos maiores ídolos de então, eleito melhor jogador do Mundial, foi agredido e acabou saindo do clube.

    Com um elenco renovado, o Corinthians conquistou títulos nos três anos seguintes: 2001/02/03.

    #

    Os fatos acima destacados dão mostras da passionalidade que envolve o Corinthians. A Fiel faz do Corinthians o maior clube do futebol brasileiros, e faz com que o profissional que envergue o escudo do clube esteja sempre no fio da navalha, na iminência de tocar o céu e prestes a sentir as chamas do inferno.

    Os alvos da invasão ao CT corinthiano, no último dia 1°, se deram conta disso – eles que, em sua maioria, vivenciaram e se impressionaram de outra maneira com outra invasão da torcida corinthiana, no Mundial de 2012.

    Pode-se concluir que a expressão corinthiana “Aqui é Corinthians!”, não é mera retórica, é rica de significados, e de significados extremos.

    Ser do Corinthians não é algo que se faça sem compromentimeto e sem respeito. Em outras palavras, e fazendo citação de outra máxima da torcida corinthiana:

    “Não é mole, não! Tem que ser homem pra jogar no Coringão!”

    Responder

  • Rodrigo Canellas

    Essa torcida merce um time com Zelão, Finazzi e cia.

    Responder