• Yuri RC

    Como professor e mestre em História só digo isso: Lindo!

    Responder

  • Rodrigo 77

    Para resumir em uma palavra: HISTÓRICO!!!

    Histórica a invasão de mais de 20 mil loucos ao outro lado do mundo, que os japoneses jamais esquecerão;

    Histórico nascimento de mais um artilheiro alvinegro, que ja se tornou um herói da massa, igual a Basílio, Tupazinho e Viola;

    Histórico time com o melhor conjunto do Brasil e um dos melhores do mundo, que foi campeão nacional, continental e mundial, e ficara marcado pra sempre na memória do torcedor;

    Históricas defesas de um goleiro promissor não só pro Timao mas pra seleção, que ele defende desde a base, e com seu uniforme bananao da sorte, foi eleito com justiça o melhor do torneio;

    Histórico treinador que deu uma guinada na carreira e mostrou ser, além de competente, um iluminado, que barrou Jorge Henrique em 2011, quando este merecia, e teve agora a grande visão de escala-lo como titular, montando o time certo pra ser campeão;

    Histórico título que representa um marco na caminhada para se tornar um novo grande clube da elite do futebol mundial, com um time vencedor que cada vez mais faz jus a sua fiel torcida;

    Histórica administração Sanchez/Gobbi, que vem colhendo os frutos do bom trabalho de reestruturação do clube, sabendo com competência transformar em resultado o imenso potencial desse gigante chamado Corinthians.

    Esse título e dedicado a todos os antis e secadores em geral, eles são tapados demais pra perceber que sua inveja e o grande combustível do nosso sucesso. Por favor, continuem secando bastante e dando ibope pra Coringao, daqui pra frente e só o que vocês vão poder fazer.

    VAI CORINTHIANS!!!

    Responder

  • Tiago

    O GRANDE, O RICO

    É preciso separar as coisas. As vezes requer uma dose de sabedoria pouco comum num país que tem por origem o conceito de colônia.

    Para ser grandioso é preciso mais do que dinheiro.

    Você olha e sabe quando é silicone. Bonito, sem dúvida…. mas é silicone.

    Posso investir milhões de dólares numa Torre e outros milhões de mídia para convence-lo de que é a mais alta do mundo. Eu até consigo, desde que você não suba lá pra medir.

    No futebol, as vezes medem.

    O rico só tem dinheiro. O grande tem todo o resto.

    O Chelsea é rico, o Corinthians é grande.

    Tão grande que estudou seu adversário e reconheceu o tamanho do jogo. O outro, tão rico que se perguntou: “Quem é esse tal de Corinthians?”.

    Dizer que “nem queria mesmo” depois de ter perdido é tão idiota quanto dizer que “nem vai querer” e depois brigar por ele com o alvará de ter dito não se importar.

    Medíocre. Uma das mais medíocres atitudes que há no esporte.

    O Chelsea, de grandes jogadores, é só um time de futebol. O Corinthians, que eles não sabem nem onde fica, é muito mais do que isso.

    A diferença entre eles não se mede no elenco, no quanto custa a porcaria do Torres ou quanto dinheiro será investido a cada janela de transferências.

    Se mede quando se olham.

    O rico despreza, se acha maior. O grande respeita, porque de fato é maior.

    Em volta daquele gramado a mais simples explicação para o título. Os milhares de fiéis que fazem do gigante um gigante. E a arrogância eterna de quem acha que aquele esporte diz respeito a negócios.

    De terno, eles chegam e saem sem mexer os olhos. Britanicos, pontuais, chatos.

    Com pandeiros no “busão”, chegamos nós. Em meio a festa, musica, medo, respeito, choro, tremedeira e tudo que um ser humano tem por direito. Porque somos humanos, como os fiéis que ali estavam morrendo de medo de perder.

    Aos milhares de ingleses que foram aos pubs rir do “tal Corinthians”, mais uma dose. Aos que foram ao Japão temer o tal Chelsea, um brinde.

    Não a falsa modéstia, pois isso não faz parte de clube nenhum. Mas um brinde ao que o dinheiro não compra, ao que faz o rico sentir inveja e ao que diferencia “poder” de “poder de compra”.

    Compra lá, Chelsea. Vá buscar o Messi, o Cristiano Ronaldo, um grupo de investidores e faça um estádio de neon que brilha no escuro.

    Uma nação você não compra, porque não está a venda. Essa se conquista, e quem conquistou foi o Corinthians que em diversos momentos de sua história não tinha dinheiro pra pagar salários de jogador.

    Quem ganhou o mundo movido por paixão foi o “favelado” clube de… de onde mesmo?

    Vai lá, Benítez. Entra no google maps e vai procurar por “donos do mundo”.

    “Você quis dizer… Corinthians?”

    (blog do rica)

    Responder

  • Jean Oliveira

    Um breve histórico do que passamos:

    Anos 80:
    “Fiado, só quando o Corinthians ganhar um Brasileiro !” – Já são 5 títulos !

    Anos 90:
    “Nunca ganharam um Mundial …” – O primeiro veio em 2000, e já somos BI-CAMPEÕES !

    Ano 2010:
    “Não tem estádio …” – Tá lá … Lindo, e será o palco de abertura da Copa do Mundo ! A casa da Fiel …

    2011:
    “Ganharam o Torneio de Verão, nunca sairam do pais …” – Libertadores INVICTO e MUNDIAL !

    2015:
    “Não dão o rabico …” – Isso nunca !!!! ;)

    Responder

  • fala nação…estou passando aqui para divulgar o meu video clipe

    http://www.youtube.com/watch?v=3BupRdPxXOc

    Responder